Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos

12 de outubro de 2011

Faça parte da campanha em defesa da educação pública no Brasil

A UNE espera realizar, nos próximos meses, a maior campanha em defesa da educação pública já promovida no Brasil. A mobilização é pela aprovação dos 10% do PIB e 50% do Fundo Social do Pré-Sal como recursos a serem investidos exclusivamente nesse setor. Todo esse dinheiro deverá ser destinado para a melhoria da estrutura das escolas, pagamento de salário digno aos professores, excelência do ensino público na periferia das cidades e nas zonas rurais de todos os municípios, além da ampliação do acesso e da qualidade nas universidades para todas e todos.
A campanha tem o nome “Educação 10″ e contará com um abaixo assinado que, de acordo com as expectativas UNE, reunirá milhões de assinaturas. “Há na sociedade brasileira, atualmente, um enorme consenso da necessidade de aumentar significativamente os investimentos em educação”, destaca o presidente da entidade Daniel Iliescu.
Os dois objetivos da campanha poderão ser alcançados ainda esse ano. Nos próximos meses, o Congresso deverá votar o projeto do Plano Nacional de Educação (PNE) do governo federal, que propõe a ampliação dos investimentos no setor para 7% do PIB até 2020, o que não é, definitivamente, suficiente. A UNE defende que o texto seja refeito e garanta o investimento de 10% na educação do Brasil até 2014.
Urgente também é a aprovação do PLS 138/2011, em tramitação no Congresso, que garante 50% do Fundo Social do Pré-Sal para a educação. O Fundo Social, criado em 2010, tem o objetivo de garantir que os recursos dessa riqueza natural sejam revertidos com finalidades sociais. A UNE tem certeza que a educação precisa ser, prioritariamente, alvo desses recursos.
Investir na educação pública é a única forma de realmente superar os problemas mais urgentes do Brasil.
Faça parte deste movimento. Assine e divulgue.
Para assinar online: http://bit.ly/qKyh4V
Baixe aqui a ficha do abaixo-assinado em jpg.
Baixe aqui a ficha do abaixo-assinado em pdf.

Fonte:  UNE

Nenhum comentário:

Postar um comentário