24 de junho de 2018

Ana Cañas: Um golpe na alma humana


um golpe.
golpe na alma humana.
golpe no brasil.
no mundo.
extermínio.
genocídio.
políticas públicas engendradas para matar, aniquilar e fomentar o apartheid eterno entre classes, raças e corações.
extermínio da população jovem, negra e periférica.
especificamente.
a elite do dinheiro é soberana em sua mediocridade e habilidosa em seu mecanicismo destruidor de qualquer oportunidade real de evolução.
intervenção militar.
a maior falácia dos últimos tempos.
101 dias sem sabermos quem matou marielle franco.
crianças assassinadas no complexo da maré, a caminho da escola.
crianças.
lugar em que a própria marielle tanto defendeu com destreza e força absolutas.
vendem o pré-sal.
com ele, a soberania poética de um país que ousou sonhar com a educação.
um governo pífio e ilegítimo permanece sentado no trono da bizarrice.
dentro desse labirinto infindável de sofrimento, preconceitos, guerra, aniquilamentos, tristezas e choques...
sobrevivemos.
encontrei verdadeiros amigos nos lugares mais vulneráveis.
ocupações, quebrada, rua, ONGs, escolas.
na janela da sala da casa de minha avó, cravejada por duas balas, entendi que certos buracos nos confrontam para renascermos.
lutar é a única saída.
resistir, acreditar, sonhar.
mesmo que embasbacados pela sordidez humana.
mesmo que paralisados pela falta de tudo que ainda nos define humanos.
a cada dia, um sopro de consciência me faz abraçar a positividade em meio ao caos.
cantar em meio à loucura.
agregar, reunir, sorrir.
mesmo que desconfiados.
mesmo que destroçados.
as flores submergem no oceano que flutua em meio às eras.
e a resposta será sempre a mesma.
eternamente.
apenas e sempre.
amar.


Por Ana Cañas