Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos

5 de julho de 2014

Foto de Dirceu vale mil palavras !

Dirceu sabe quem combater: não é como Barbosa, um homem oco

A raiva santa!

 Uma foto de Dirceu na portaria do prédio onde começou a trabalhar conta tudo.

Ele tem as cicatrizes do sofrimento.

E tem também o olhar do desafio, da resposta, do combate.

Um mês de alimentação normal, um pouco de sol, e esse aspecto frágil vai embora.

Sobrevive o político militante, que tem uma causa: a dos pobres e oprimidos.

Joaquim Barbosa o atingiu, o enfraqueceu, mas vai embora em opróbrio.

Como herói dos que fizeram dele um instrumento político.

Queriam quebrar o PT e encarcerar o Lula.

Perderam nos dois rounds.

Barbosa tornou-se dispensável.

Barbosa é um homem oco, vazio.

Os adversários de Dirceu tem nome, sobrenome e endereço.

Não são como os de Barbosa, que ele não teve coragem de denunciar, na saída melancólica.

Dirceu tem dentro dele uma raiva santa: o acerto de contas.

Como um condenado injustamente.

José Dirceu ganhou.

Ele passa esse fim de semana em casa, com a filha de três anos, o ponto mais agudo de sua tristeza.

Paulo Henrique Amorim
 

Em tempo: Do amigo navegante Edmilson Botequio:

Barbosa prestou um enorme serviço à classe dominante e sua mídia espúria, ao passo que prestou um enorme desserviço ao Brasil e ao seu povo. Subverteu os fatos e a ordem das coisas. Perdeu a oportunidade ímpar de julgar um caixa dois de campanha, como ele é, denunciar o nefasto financiamento privado de campanha, e criar um ambiente político que tornaria inevitável a reforma política. Barbosa perdeu o bonde da história, criminalizou a política e o partido que mais combate o status quo. Um dia essa história será contada como ela é e o que significou para o país. Barbosa Silvério dos Reis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário