Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos

13 de agosto de 2011

Democratização da Comunicação: Força Sindical conclui seminário com sucesso

Nilton Souza Silva, secretário de Relações Internacionais da Central, explicou que o objetivo é reforçar o relacionamento de colaboração entre as duas entidades; colocar a disposição os respectivos conhecimentos na área de comunicação; criar uma comissão para desenvolver projetos comuns e incentivar a criação de uma TV Web na Força Sindical semelhante à da UIL.
Ontem (dia 11), a Central realizou o Seminário “A Comunicação Sindical como Instrumento de Luta dos Trabalhadores”, com a participação de 40 profissionais da imprensa  das entidades filiadas à Força Sindical. Além do Estado de São Paulo estiveram presentes os jornalistas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Ceará e Rondônia, que expuseram os desafios que enfrentam no setor e aproveitaram para trocar experiências com os palestrantes.

Durante a abertura do seminário, o 1º secretário da Força Sindical, Sergio Luiz Leite, Serginho, disse que o encontro se encaixava na preocupação da Central para o aperfeiçoamento e fortalecimento da área de comunicação das entidades filiadas e reflete o compromisso de aprofundamento do intercâmbio entre os profissionais no âmbito nacional e também internacional.
Para o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, Juruna, a comunicação sindical é essencial para a vida e também para o fortalecimento das estruturas sindicais. “É importante que os dirigentes e militantes sindicais adotem cada vez mais a comunicação como instrumento de ação em suas atividades”, disse Juruna.
 O professor e jornalista Antonio Messias, responsável pela WebTV da UIL, e a jornalista Donatela Querci, falaram sobre a experiência desta ferramenta de comunicação para os trabalhadores e a sociedade italiana e a importância de sua aplicabilidade no Brasil, mesmo com as diferenças entre os dois países.
As notícias veiculadas pela WebTV da UIL se referem aos interesses dos trabalhadores, das categorias, como manifestações e marchas, além de informações sobre serviços de assistência previdenciária, direitos do consumidor, serviço fiscal gratuito e temas sociais, por exemplo, violência contra a mulher, abuso sexual e serviços de saúde.
O responsável pela comunicação da CSA (Confederação Sindical dos Trabalhadores das Américas), Alexandre Praça, abordou os avanços da democratização da comunicação em alguns países das Américas, criticou os monopólios do setor e elogiou a atuação da Força Sindical nas atividades relativas à comunicação.

Fonte: Mundo Sindical

Nenhum comentário:

Postar um comentário