Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos

2 de julho de 2011

TV dos Trabalhadores: cobertura da programação "Sábados Resistentes"

De Alípio Freire via Rede Democrática
Camaradas e Amig@s,
segue o link da matéria de cobertura da TV dos Trabalhadortes (TVT), da edição de 18 de junho da programação Sábados Resistentes, organizada pelo Núcleo de Preservação da Memória Política e o Memorial da Resistência de São Paulo.



No sábado passado, comemoramos a libertação de 40 pres@s polític@s, em troca do embaixador da República Federal da Alemanha (Alemanha Ocidental), senhor Ehrenfried von Holleben.
No mesmo dia, foi lançado o livro "Eduardo Leite - Bacuri", da jovem jornalista Vanessa Gonçalves, prefaciado pelo ministro Paulo Vannuchi.
Bacuri, que comandou a ação de captura do diplomata alemão, e sua troca pel@s 40 pres@s, seria assassinado alguns meses depois, após mais de cem dias de torturas.
O Memorial da Resistência funciona no prédio do antigo DEOPS de São Paulo.
Memorial da Resistência de São Paulo - Largo General Osório 66 - São Paulo-SP 
Tel. 55 11 3335 4990
memorialdaresistencia@pinacoteca.org.br
Agendamento de visitas educativas: 55 11 3324.0943 ou 0944
Núcleo de Preservação da Memória Política
www.nucleomemoria.org.br/
contato@nucleomemoria.org.br
Tel. 55 11 2306-4801
O livro foi editado pela Plena Editorial
www.plenaeditorial.com.br
11 3853 7505
Putabraço,
Alipio Freire

O Memorial da Resistência de São Paulo é uma instituição dedicada à preservação das memórias da resistência e da repressão políticas por meio da musealização de parte do edifício que sediou o Departamento Estadual de Ordem Política e Social do Estado de São Paulo – Deops/SP, entre os anos de 1940 a 1983.

Seu novo projeto museológico, inaugurado em 24 de janeiro de 2009, foi realizado com vistas a ampliar a sua ação preservacionista e seu potencial educativo e cultural por meio da problematização e atualização dos distintos caminhos da memória da resistência e da repressão do Brasil republicano. Seu programa museológico está estruturado em procedimentos de pesquisa, salvaguarda (ações de documentação e conservação) e comunicação (exposições e ação educativa e cultural) patrimoniais por meio de seis linhas de ação. Voltadas à pesquisa e à extroversão dos principais conceitos norteadores do Memorial e atuando articuladamente, essas linhas objetivam fazer da instituição um espaço voltado à reflexão e que promova ações que possam colaborar na formação de cidadãos conscientes e críticos, sensibilizando para a importância do exercício da cidadania, da valorização da democracia e do respeito aos direitos humanos.
- Centro de Referência (conexão em rede com fontes documentais e bibliográficas)
- Lugares da Memória (inventário dos lugares da memória localizados no Estado de São Paulo)
- Coleta Regular de Testemunhos (registro de testemunhos de cidadãos envolvidos com as ações do Deops/SP)
- Exposição (exposição de longa duração e mostras temporárias)
- Ação Educativa (encontros de formação para educadores, produção de materiais pedagógicos de apoio, visitas educativas e palestras)
- Ação Cultural (seminários, lançamento de filmes e de livros, apresentação de peças de teatro) 
Memorial da Resistência de São Paulo
Largo General Osório, 66 – Luz
Entrada franca
CEP: 01213-010 – São Paulo – SP
Telefone: 55 11 3335 4990
Agendamento de visitas educativas: 3324.0943 ou 0944


O Núcleo de Preservação da Memória Política (também conhecido como Núcleo Memória) surgiu primeiramente como um grupo de trabalho fundado dentro do contexto de atividades do Fórum Permanente de ex Presos e Perseguidos politicos de Sao Paulo, uma entidade fundada em Sao Paulo no ano de 2001 para defender os interesses dos ex-prisioneiros politicos e perseguidos durante a ditadura militar no Brasil (1964/1985) .

O Núcleo se desenvolveu como uma instituição independente a partir de fevereiro de 2009 e sua atividade principal consiste em trabalhar para a promoção de políticas públicas nas questões referente à Memória Política. Suas atividades também se concentram na defesa dos Direitos Humanos e em ações educativas. Promove, com outras entidades similares no Brasil, a conscientização dos organismos públicos e privados para transformar os lugares onde se praticaram atrocidades em memoriais de referencia.

Durante o ano de 2008, os integrantes do Núcleo estiveram envolvidos como entidade assessora da Secretaria de Cultura de São Paulo e da Pinacoteca do Estado na transformação do prédio onde funcionou a sede do DEOPS (Departamento de Ordem Política e Social ) convertido, desde janeiro de 2009, no Memorial da Resistência , primeiro projeto museológico de Memoria no Brasil.

Desde Março 2009, o Núcleo Memória é o primeiro membro institucional brasileiro da Coalizão Internacional de Museus de Consciência em Lugares Históricos ( em inglês sigla ICSC – International Coalition of Sites of Conscience - www.sitesofconscience.org).

A TVT, primeira emissora de televisão outorgada a um sindicato de trabalhadores,entrou no ar no dia 23 de agosto de 2010, as 19h. Resultado de 23 anos de luta do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, a emissora educativa é uma geradora e foi outorgada em outubro de 2009 à Fundação Sociedade, Comunicação, Cultura e Trabalho, entidade cultural sem fins lucrativos criada e mantida pelo Sindicato.
A programação vem ao ar pelo canal 46 UHF e pelo site da emissora: http://www.tvt.org.br/. Também está em 27 canais comunitários (a cabo) da Grande São Paulo e em mais de 240 pontos de abrangência da Rede NGT em todo o País. A programação é transmitida simultaneamente pela TV Web do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (http://www.smabc.org.br/), cujo novo portal foi inaugurado no dia 29 de julho de 2010.

"Todos reconhecem a importância histórica que essa Casa (o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC) teve na luta pela consolidação da democracia no Brasil. A TVT é resultado dessa democracia e um direito dos trabalhadores", afirmou Sérgio Nobre, presidente do Sindicato, durante entrevista coletiva no dia 29 de julho de 2010, quando anunciou a estréia da emissora e os detalhes da outorga e da programação da TVT.

"Queremos ser um canal de amplificação da voz dos movimentos sociais", disse o diretor de Comunicação do Sindicato, Valter Sanches, e presidente da Fundação.

A TVT tem diariamente uma hora e meia de produção própria. O carro-chefe é um jornal ao vivo de 30 minutos, Seu Jornal, que é exibido de segunda a sexta-feira.

Integram a grade outras sete produções envolvendo serviços, debates, documentários, cooperativismo, entrevistas e destaques do mundo do trabalho.

Para garantir o restante da programação, foram firmadas parcerias com a TV Brasil (pública) e as TVs Câmara e Senado, que fornecerão noticiário nacional, reportagens especiais e documentários.

Uma equipe com cerca de 100 profissionais é responsável pela produção da programação própria da TVT. Segundo Valter Sanches, foi investido R$ 1 milhão na compra de equipamentos. O custo mensal da programação da TVT está estimado em R$ 400 mil.

Por ser educativa, a emissora não pode veicular publicidade nem ter patrocínios, mas apenas apoios culturais.

Para poder se habilitar legalmente á concessão, o Sindicato fez um aporte financeiro de R$ 15 milhões com recursos próprios (aprovado em assembléia em 2007) na conta da Fundação.

Sanches e Sérgio Nobre afirmaram que o Sindicato ira buscar apoios culturais e novos parceiros para a TVT ainda este ano. "Vamos fazer dessa emissora uma grande rede nacional", afirmou o presidente do Sindicato.

A outorga da emissora foi feita em outubro de 2009 por meio de decreto assinado pelo presidente Lula e pelo então ministro das Comunicações, Hélio Costa. Além do Canal 46 UHF, a Fundação também já teve outorgadas, no mesmo ano, mais uma emissora UHF, em São Caetano, e duas emissoras de rádio (uma em São Vicente e outra em São Caetano).

EM REDE - A Fundação firmou uma parceria com a Acesp (Associação dos Canais Comunitários do Estado de São Paulo) para retransmissão da programação da TVT em 27 emissoras comunitárias nas sete cidades do ABC (Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra - canal 48) e nas seguintes praças: Atibaia, Bragança Paulista, Cubatão, Guarulhos, Itapetininga, Mogi das Cruzes, Osasco, Peruíbe, Ribeirão Preto, São José dos Campos, Jacareí, São José do Rio Preto,  Valinhos, Limeira, Americana, Rio Claro, Sumaré, Hortolândia, Mogi Mirim, Mogi Guaçu, Itapetininga e São Paulo (capital).

Outra parceria foi firmada com a Rede NGT, por seis meses, para retransmitir a programação da TVT a diversas regiões do Estado de São Paulo e do Brasil. São mais de 240 pontos de abrangência em todo o País.

Na Grande São Paulo, por exemplo, são 26; na região de Bauru, mais 26; na Grande Rio de Janeiro, 16; em Minas Gerais, 87 (17 no sul-sudeste); na região do Cariri, no Ceará, 24. A população total dessas regiões é de 40 milhões de habitantes e 12 milhões de domicílios com televisores, segundo dados da NGT.

Nenhum comentário:

Postar um comentário