Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos

4 de outubro de 2010

“Opinião Publicada” leva Dilma Rousseff para o segundo turno.


Fiquei meio abatido com o resultado das eleições, com a ida para o segundo turno de um caráter como o deste representante das correntes conservadoras do nosso país. Dor no peito mesmo. Muitos jornalistas, intelectuais e profissionais de diversas áreas, vem alertando já há muito tempo, para a influencia que a mídia exerce na formação da opinião pública, na educação e na cultura do nosso povo.

A mídia contribuiu em muito para o suicídio de Getúlio Vargas, para o golpe em  João Goulart, derrubou Hugo Chavez (lá o povo o colocou de volta), ajudou na derrocada de Salvador Allende, isso só para citar alguns exemplos. Tem muito mais coisa.

Humildemente me coloco entre os que vem se manifestando acerca do problema. Sequer sou Jornalista. E sendo um militante voluntário, de muito pouco ou de quase nada adiantaram os "pitacos". Afinal de contas o que eu digo e o que é mais grave ainda, o que é dito por jornalistas e intelectuais aqui na internet, não tem o peso ou credibilidade (a Psicologia explica), daquilo que é dito pelo apresentador do tele-jornal ou pelos colunistas das revistas e jornais de grande circulação. A chamada "grande mídia".

Segundo os últimos estudos realizados, 96% das pessoas se informa através da TV (RedeTV, Band, Globo, Sbt, etc.). E nem Índio escapa da editorialização das notícias. É só sair nas manhãs pelas ruas e constatar que há TVs nos bares, restaurantes, clínicas, hospitais, mercados, lojas, lares, portarias e até em bancas de jornais. Todas ligadas em um único canal, e jornal, e programa, e pensamento.

Até os que juram ser a verdadeira esquerda da nação(PSOL,PCB,PV,PCO,PSTU), e que se apresentam como os  únicos dignos e honestos, além de dividirem a esquerda nas eleições, tem suas agendas pautadas por esta mídia que deixou de informar e se transformou em um partido político. E do mesmo modo que os “donos“ da informação, não souberam dar a devida importância e nem tão pouco compareceram com suas propostas, na Conferencia Nacional de Comunicação realizada em dezembro de 2009. Isto é muito grave. "É a esquerda que a direita gosta" como dizia Leonel de Moura Brizola.
Esta conferencia de vital importância, acenava com a possibilidade de democratização do setor, da universalização da banda larga e também da oferta de mídias públicas, comunitárias, de sindicatos e de universidades. O que garantiria ao povo brasileiro o seu legítimo direito a uma informação de qualidade, com um mínimo de imparcialidade, com ética e com responsabilidade social.

Agora com a possibilidade inusitada de a esquerda perder o poder central, para Serra e seus golpistas amestrados, poder este conquistado com muitas concessões, sacrifícios, perdas e danos, o que vai ser dos avanços que estávamos conquistando em todas as áreas?

Não posso e não devo chamar estas pessoas de traidores da pátria, tal a raiva que fiquei, pois elas não tem culpa de terem sucumbido ao processo de desinformação a que estamos submetidos diariamente, já há muitas décadas. Com informação e com propaganda subliminar não se brinca. É estratégico e por isso a direita não deixa que saia de seu controle. Ou alguém aqui terá a coragem de dizer que esta mídia que aí está, trata informação como serviço público que é o que ela é? Ou que haja alguém nesta mídia com pelo menos alguma simpatia por um presidente que tem cerca de 86% de aprovação popular. E que só chegou ao poder após várias tentativas e devido a ninguém mais aguentar a incompetência da direita para administrar o país.

A luta continua. A luta dos "Blogues Sujos" contra a "Vênus Platinada", dos CIEPS contra os “Amigos da Escola”, do Laerte Braga (poderia citar centenas de excelentes jornalistas, mas é que o Laerte recentemente se referiu ao Bonner num artigo dele), contra o William Bonner, do Bolsa Família contra o “Criança Esperança” e da "Casa Grande" contra a "Senzala".

Nenhum comentário:

Postar um comentário