Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos

10 de agosto de 2016

Parlamentares vão à OEA para barrar o golpe contra Dilma



Os deputados Paulo Pimenta (PT-RS), Paulo Teixeira (PT-SP) e Wadih Damous (PT-RJ) e o senador Telmário Mota (PDT-RR), ao lado de um time de juristas do Brasil e da Argentina, protocolaram, nesta quarta-feira (10), uma denúncia na Comissão Interamericana de Direitos Humanos, ligada à Organização dos Estados Americanos para paralisar o golpe no Brasil.
Baseado em comprovações de que a presidenta eleita Dilma Rousseff não cometeu crime de responsabilidade, os parlamentares e juristas pedem o retorno imediato da presidenta e a anulação do processo de impeachment.
A peça é assinada também pela presidenta Dilma Rousseff na condição de vítima.
Para Paulo Pimenta, o processo de impeachment feriu diversos protocolos internacionais em que o Brasil é signatário. “A petição que apresentamos aponta um conjunto de questões que foram identificadas na tramitação do impeachment na Câmara, no Senado e no Supremo Tribunal Federal que estão em desacordo com protocolos internacionais firmados pelo Brasil”, explica.
Na representação, os parlamentares pedem uma medida cautelar para que a tentativa de golpe seja suspensa até que os organismos internacionais se pronunciem oficialmente sobre o caso.
“Nós vamos brigar em todas as esferas, sejam elas parlamentares, judiciais, na rua ou no exterior, para denunciar esse golpe. Para o País ter a sua normalidade democrática restabelecida e que o direito da população seja respeitado. Esse direito se expressou com mais de 54 milhões de votos”, completa o deputado.
As Olimpíadas do Rio de Janeiro, segundo o parlamentar pelo PT do Rio Grande do Sul, é um ótimo momento para denunciar a quebra da ordem democrática no País.
De acordo com Paulo Teixeira, um dos outros signatários, é fundamental lutar contra o golpe, pois houve irregularidades em uma série de procedimentos do processo de impeachment. “Não há nenhum crime praticado pela presidenta da República, ela não respondeu a nenhum processo penal”, afirma.
Paulo Teixeira lembrou que o pré-candidato à presidência nos Estados Unidos pelo Partido Democrata, Bernie Sanders, se posicionou contra o impeachment e pediu novas eleições no Brasil.
“Esse golpe tem que ser denunciado no plano internacional. Hoje mesmo, o Sanders pediu que tivesse novas eleições no Brasil e denunciou o golpe (…). Nós queremos que no âmbito internacional seja conhecida a situação de ruptura democrática existente no Brasil”.
Leia a petição em espanhol e a petição em inglês.
https://www.facebook.com/ptnacamara/videos/864079807025957/
PT na Câmara com Agência PT de Notícias
Foto: José Cícero da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário