Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos

2 de agosto de 2016

Lula depõe na PGR e classifica de "mentira" a acusação feita por Delcídio


Em depoimento à Procuradoria-Geral da República, que estava inédito até esta segunda (1º), o ex-presidente Lula disse que teve conversas sobre os desdobramentos do esquema de corrupção da Petrobras com o ex-senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS); segundo Lula, o ex-senador estava "preocupado com as pessoas que estavam presas por ser amigo delas", como o ex-diretor da estatal Nestor Cerveró; Lula classificou de "mentira" a acusação feita por Delcídio em sua delação premiada de que discutiu com o ex-presidente a tentativa de dar dinheiro a Cerveró, para evitar que o ex-diretor fizesse delação

Em depoimento à Procuradoria-Geral da República, que estava inédito até esta segunda-feira (1º), o ex-presidente Lula disse que teve conversas sobre os desdobramentos do esquema de corrupção da Petrobras com o ex-senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS). Segundo Lula, o ex-senador estava "preocupado com as pessoas que estavam presas por ser amigo delas", como o ex-diretor da estatal Nestor Cerveró.

O depoimento foi prestado durante o inquérito contra Lula e Delcídio sob suspeita de obstrução das investigações do esquema de corrupção, no qual é acusado de participar da tentativa de compra do silêncio de Cerveró.

Lula classificou de "mentira" a acusação feita por Delcídio em sua delação premiada de que discutiu com o ex-presidente a tentativa de dar dinheiro a Cerveró, para evitar que o ex-diretor fizesse delação.

O ex-presidente afirmou que "discutiu aspectos da Operação Lava Jato com Delcídio porque este tinha preocupação com as pessoas que estavam presas, até por ter sido da Petrobras e do setor energético e elétrico" e também "possivelmente por ter inclusive trabalhado [na estatal] durante o governo Fernando Henrique Cardoso".

O ex-presidente afirmou ainda que "Delcídio dizia estar preocupado com as pessoas que estavam presas por ser amigo delas, como Cerveró e outras".

Questionado sobre sua reação ao acordo de delação de Cerveró, o petista disse que reagiu "normalmente" e que não soube da reação do governo e do PT sobre a delação. "Que não conversou sobre esse assunto com ninguém e que não tinha nem razão [para isso]", disse.

Em relação a Cerveró, Lula disse que não tinha relação pessoal e que "acha que nunca teve uma conversa a sós com Nestor Cerveró por nem um minuto". Repetiu que sua indicação à diretoria Internacional da Petrobras foi "partidária".

do Brasil 247

Nenhum comentário:

Postar um comentário