Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos

11 de junho de 2016

Um País. Um só grito: Fora Temer

Cinelândia, RJ - foto Jornalistas Livres

Contra Temer, 100 mil vão às ruas de SP. Centenas de milhares lotam todas as outras capitais.

Perto de completar um mês de governo ilegítimo, Michel Temer é alvo de protestos que aconteceram no Brasil e em dezenas de cidades fora do País. São Paulo reuniu 100 mil pessoas; Minas Gerais 40 mil; Rio de Janeiro 30 mil, Pernambuco 30 mil; Brasília 10 mil. Centenas de milhares de pessoas gritaram Fora Temer nesta sexta-feira, 10 de junho.

O ato unificado nacional organizado pela Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo teve como mote as bandeiras Fora Temer; Não ao golpe; Nenhum Direito a Menos e começou na véspera com uma série de paralisações e ocupações em sedes do Incra e agências do INSS. No final da noite, a TV Verdes Mares, afiliada da Rede Globo no Ceára também foi ocupada.

Em São Paulo, o ato contou com a participação do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva e artistas do movimento #OcupaCultura que desde o início do governo interino estão ocupados nos 27 estados.

Lula criticou os cortes que Temer está fazendo em áreas estratégicas como educação e saúde e também os cortes nos ministérios.


“Não é possível imaginar que alguém não tenha sensibilidade para entender a questão dos negros da nossa sociedade que foi escravizada por muitos anos. Não é possível que não reconheça a violência contra os direitos humanos, a violência na periferia, contra os pobres e acaba com ministério dos Direitos Humanos”, indignou-se Lula.

A sede de poder de Michel Temer também criticada por Lula. Segundo o ex-presidente, o pemedebista não respeitou a interinidade. “Eu fico imaginando a atitude do Temer que deu um golpe na decisão do Senado. Ele pegou a interinidade e não agiu como um presidente interino”.

Lula ainda apelou para o senso de advogado criminalista do atual presidente. "Não vou dizer Fora Temer, não pega bem. Temer é um advogado constitucionalista, deve devolver o poder para uma presidenta legitimamente eleita".

Unidade


A unidade dos movimentos sociais foi ressaltada pelos dirigentes das entidades que compõem as Frentes.

De acordo com Vagner Freitas, presidente da CUT, “a coisa mais importante que foi construída nesse processo todo foi essa linda unidade da esquerda e dos movimentos sociais para impedir o impeachment e retomar a democracia”.

A presidente da União Nacional dos Estudantes, Carina Vitral, afirmou que esse é um momento de valorizar as bandeiras que unificam as entidades do movimento social. “Hoje estamos na rua para pedir Fora Temer, essa é a bandeira que nos unifica e esse é o objetivo principal dos movimentos sociais”.

Veja como foi o ato nos estados acessando a nossa página no Facebook

do Frente Brasil Popular

Nenhum comentário:

Postar um comentário