Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos

8 de maio de 2016

Para Glenn Greenwald Impeachment é para destruir o PT e proteger a corrupção


Jornalista Glenn Greenwald, conhecido mundialmente por ter sido o jornalista escolhido por Edgar Snowden para revelar ao mundo a espionagem em massa do governo americano, via NSA, disse que o impeachment da presidente Dilma Rousseff tem como objetivo "destruir um partido que ganhou quatro eleições consecutivas e que os adversários não conseguiram vencer nas urnas e que estão buscando uma possibilidade de destruir o partido fora do processo democrático  colocando uma pessoa que nunca poderá ser eleita como presidente, no lugar de Dilma. E isso é algo muito forte", afirmou; ele também questionou o real papel da Operação Lava Jato e disse que as pessoas estão começando a perceber que "o motivo não é punir a corrupção, é o oposto, é proteger a corrupção"


O jornalista Glenn Greenwald, conhecido mundialmente por ter sido o jornalista escolhido por Edgar Snowden para revelar ao mundo a espionagem em massa do governo americano, via NSA, questionou o papel da operação Lava Jato no combate a corrupção e disse que as pessoas estão começando a perceber que "o motivo não é punir a corrupção, é o oposto, é proteger a corrupção".

Segundo Greenwald, "no minuto que a Dilma sair, Globo, Veja o Estadão vão perder muito interesse no escândalo da Lava Jato e com a história sobre corrupção. Acho que o público vai ser persuadido a achar que o problema foi resolvido. E um grupo novo em Brasília, que vai ter muito mais poder, Cunha ou Temer ou os aliados deles implicados em corrupção, poderá usar o poder deles para matar essa investigação. Para mim esse é o objetivo com o impeachment", disse o jornalista em entrevista ao jornal A Crítica.

Greenwald disse, ainda, que o vazamento de informações como no caso da Lava Jato pode contribuir para fortalecer a democracia, mas também podem ser extremamente prejudiciais quando os vazamentos possuem "fundo político." Eu acho que tem uma parte muito importante com a Lava Jato que está fortalecendo a democracia porque está mostrando que independente do poder, da posição e da riqueza, todas as pessoas estão sujeitas a lei. E há muitos países, como os Estados Unidos, onde as pessoas muito poderosas ainda estão acima da lei. Então para mim é muito bom ver empresários e políticos influentes indo para a prisão por corrupção", disse.

Apesar disso, ele ressalta que o "abuso de poder" pode trazer perigos. "O problema está em como o processo judicial tem cunho político, e não é tema, é o poder que isso tem gerado. Está havendo um abuso de poder muito perigoso. Eu estava apoiando muito a operação até o mandado de condução coercitiva do Lula e a divulgação das conversas entre ele e Dilma e outras pessoas. Nesse momento mostrou que agora o motivo é político e para mim isso é algo muito perigoso", afirmou.

Para o jornalista, mais importante do que a discussão se o que está acontecendo no Brasil é pode ou não ser considerado um golpe, é saber se isso fortalece ou não a democracia. "Para mim, a questão mais importante e interessante é: isso está atacando ou fortalecendo a democracia? E acredito ser algo muito forte contra a democracia. O objetivo é destruir um partido que ganhou quatro eleições consecutivas que os adversários não conseguiram vencer nas urnas e é estão buscando uma possibilidade de destruir o partido fora do processo democrático e colocando uma pessoa que nunca poderá ser eleita como presidente no lugar de Dilma. E isso é algo muito forte", observou.

Leia a íntegra da entrevista aqui - http://www.acritica.com/channels/cotidiano/news/processo-de-impeachment-isso-esta-fortalecendo-ou-atacando-a-democracia-diz-glenn-greenwald
Brasil247

Nenhum comentário:

Postar um comentário