Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos

12 de maio de 2016

Após citada, Dilma vai ter 20 dias para defesa no processo de impeachment


O presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandovisk, assinou, nessa quinta-feira (12), dois documentos que abrem nova fase do impeachment.

Um foi o mandado de citação a Presidente da República que, quando for entregue a Dilma Rousseff, começa a contar o prazo de 20 dias corridos para ela apresentar a defesa.

O ministro Lewandowski assinou ainda um termo de posse onde se torna o presidente do Senado no processo de impeachment. Com isso, todo recurso apresentado pelos senadores vai ser decidido por Lewandoviski.

A nova fase pode durar até 180 dias, com a presidenta Dilma afastada. O ministro do Supremo explicou que o processo vai ser dividido em duas partes.

Lewandowski acredita que o processo vai tramitar com tranquilidade porque o rito é o mesmo do julgamento do ex-presidente Fernando Collor, em 1992. A segunda parte dessa fase, segundo o presidente do STF, será conduzida por ele.

O presidente da Comissão do impeachment, senador Raimundo Lira, do PMDB, vai conduzir a primeira fase. Ele comentou sobre os prazos.

Na próxima terça-feira, o presidente da Comissão Raimundo Lira e o relator Antônio Anastasia, do PSDB, vão se encontrar com o presidente do Supremo, Ricardo Lewandowski, para acertar mais detalhes da nova fase. Na próxima semana serão realizadas apenas sessões internas da comissão do impeachment. Segundo Raimundo Lira, é porque alguns senadores estarão em viagem ao exterior.

da Rádio Agência Nacional

Nenhum comentário:

Postar um comentário