Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos

31 de março de 2013

Grupo Tortura Nunca Mais homenageia, no Rio de Janeiro, vítimas da ditadura

Brasil - RBA - Medalha Chico Mendes de Resistência também será entregue a pessoas e organizações que se destacam na luta por direitos humanos no período recente.
O Grupo Tortura Nunca Mais, do Rio de Janeiro, entrega amanhã (1º), aniversário do golpe de 1964, a Medalha Chico Mendes de Resistência a 10 pessoas (a maioria in memoriam) e duas organizações que se destacaram na luta por direitos humanos, durante a ditadura ou no período recente. A cerimônia será na sede da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), a partir das 17h.
É a 25º edição do evento, criado em 1988 em resposta à Medalha do Pacificador, do Exército, entregue a pessoas ligadas ao aparato de repressão. A Medalha também homenageia Chico Mendes, líder seringueiro do Acre, assassinado naquele mesmo ano por fazendeiros.
Os homenageados de 2013 serão:
1 - Carlos Alexandre Azevedo (in memoriam), filho de presos políticos, torturado com 1 ano e oito meses de idade;
2 - Cícero Guedes dos Santos (in memoriam), líder do MST, assassinado em janeiro de 2013 no Norte Fluminense;
3 - Comissão Pastoral da Terra - CPT-Acre, instituição que defende comunidades tradicionais e trabalhadores rurais no estado do Acre;
4 - Daniel Ribeiro Callado (in memoriam), militante do PC do B, desaparecido político;
5 - Divino Ferreira de Sousa (in memoriam), militante do PC do B, desaparecido político;
6 - Luis Eduardo da Rocha Merlino (in memoriam), militante do Partido Operário Comunista – POC, assassinado na Operação Bandeirantes em 1971;
7 - Macarena Gelman – Argentina, filha de desaparecido político encontrada pelo avô;
8 – Movimento Mães de Maio – organização de mulheres que tiveram filhos assassinados em ações truculentas da Polícia Militar de SP;
9 - Octávio Brandão (in memoriam), político e ativista brasileiro, militante e teórico do Partido Comunista Brasileiro - PCB;
10 - Patrícia de Oliveira da Silva, da Rede de Comunidades e Movimento Contra a Violência;
11 - Regina dos Santos Pinho (in memoriam), integrante do MST, encontrada morta em fevereiro de 2013 no Norte Fluminense; e
12 - Silvio Tendler, documentarista brasileiro.
Também haverá o lançamento da obra "Brasil, ditadura militar — Um livro para os que nasceram bem depois", de Joana D'Arc Fernandes Ferraz e Elaine de Almeida Bortone.
A ABI fica na rua Araújo Porto Alegre, 71, 9º andar, Centro do Rio de Janeiro.
 do Diário Liberdade

Nenhum comentário:

Postar um comentário