Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos

29 de agosto de 2011

Democratização da Comunicação: O que mais o PIG (Veja, Globo e seus clones) precisam fazer?

Este caso da revista Veja e sua perseguição criminosa ao ex-ministro José Dirceu é emblemático. Mesmo que um processo na justiça levasse ao fim esta revista de pequeno jornalismo mas de grande circulação, a imagem do ex-ministro continuaria irremediavelmente comprometida. A Argentina, o Equador, a Bolívia e a Venezuela, todos estes países tem, mas nós não temos, uma revista sequer de grande circulação, ou uma TV ou Rádio de grande audiência, para oferecer aos cidadãos pelo menos o contraditório.
O poder de convencimento das mídias de grande alcance (globo, veja e seus clones), é muito grande. Eles realmente formam opinião, criam hábitos, ideologias, criam falsas realidades e com muita competência administram  uma população despolitizada, fruto de vinte e um anos de ditadura e mais não sei quantos, de direita no poder. 
O atualmente deputado federal Paulo Maluff, apesar de todas as provas e condenações que pesam contra ele , este segue sua vida política tranquilamente no congresso. Já o José Dirceu, apesar de ninguém ser capaz de dizer o que ele fez, condenado(?) que foi, pela mídia, teve o seu mandato político cassado por oito anos.
A democratização da comunicação é a prioridade. Temos que defender a sociedade do entulho autoritário, do monopólio da informação por parte dos neoliberais, que através da mídia vem impedindo o aprofundamento de nossa democracia. Temos que oferecer aos brasileiros alternativas de qualidade a isto que aí está, para que a partir de informações verdadeiras, o cidadão brasileiro possa melhorar sua visão de mundo, melhorar a qualidade do seu voto, a qualidade dos seus representantes, conhecer seus direitos, seus deveres e assim possa fazer com suas próprias mãos, um Brasil verdadeiramente democrático.
O fortalecimento de TVs e Rádios públicas e comunitárias, tornando-as digitais e gratuitas (abertas, fora do cabo), e Internet acessível para todos, seria um bom começo.
E sempre é bom o alerta quanto a crise econômica que está lá fora falindo empresas e desempregando trabalhadores. Que esta não venha para cá, porque caso isto aconteça, não será difícil para a mídia neoliberal, convencer uma população atingida no que lhe é mais caro hoje em dia, que é o seu bolso, de que a culpa é do governo que aí está. - BlogueDoSouza

Reproduzo agora artigo de Conceição Lemes no Viomundo:
Polícia Federal já está no caso Veja/Hotel Naoum

O principal cenário da “denúncia” da Veja desse final desse final de semana é o Hotel Naoum, em Brasília. Nele, segundo a revista, José Dirceu tem um “gabinete” instalado, onde “o ex-ministro recebe autoridades da República para, entre outras atividades, conspirar contra o governo Dilma.”
A matéria traz uma sequência de dez fotos tiradas do andar em que fica o apartamento de José Dirceu. Numa delas, aparece o próprio. Nas demais, ministros, deputados, senadores que lá estiveram. Por isso, entrevistei há pouco Rogério Tonatto, gerente geral do hotel.
Viomundo — No seu ramo de negócio, privacidade é vital. A do Naoum, porém, foi quebrada com a reportagem da Veja. O senhor não teme que, por isso, clientes deixem de se hospedar no seu hotel?

Rogério Tonatto — Eu não acredito, não, porque todo mundo conhece a nossa respeitabilidade. O hotel tem 22 anos, é considerado o melhor da cidade. É o hotel que mais recebeu comitivas oficiais em todo o país, da Princesa Diana a  Fidel Castro.  São mais de 150 comitivas oficiais.
O que foi feito aqui é uma coisa criminosa, que a gente repudia. Nós estamos realmente chocados, pois temos uma história muito forte com a cidade.  Não vamos deixar que episódio isolado como esse abale o nome do hotel.

Viomundo – Acha mesmo que não vai ter repercussão na sua clientela? As fotos exibidas na Veja demonstram que a privacidade do seu cliente está em risco.
Rogério Tonatto – A privacidade de clientes está sob risco em qualquer lugar do mundo.  O que fizeram no hotel é um crime. Aliás, muitos clientes têm-nos ligado para prestar solidariedade, dizendo que o hotel não merece isso.
Viomundo – O senhor sabe como foram feitas as imagens?
Rogério Tonatto — A gente não sabe ainda com certeza, pois a questão está sob investigação.  A nossa suspeita é de que essa câmera foi plantada. Achamos que não saíram do circuito interno  do hotel.
Viomundo — Não saíram mesmo do circuito interno?

Rogério Tonatto — Nós estamos investigando.  Mas tudo indica que não. Até porque a maioria dos nossos funcionários tem muito tempo de casa, são pessoas comprometidas  com o hotel. Eu sinceramente não acredito que possa ter saído de forma inconseqüente do hotel. Nisso, a gente está bem tranqüilo.
Já falamos com todos os funcionários, a começar pelo pessoal de segurança. Está todo mundo muito chateado, muito perplexo.  São pessoas que têm um carinho muito grande pelo empreendimento. Você não tem noção do que a gente realmente está passando…
Viomundo – É possível dizer com 100% de certeza que as fotos não foram tiradas do seu sistema de segurança?
Rogério Tonatto – Neste instante, não tenho condições de precisar 100%.  A principal hipótese é a de que uma câmera tenha sido plantada no hotel.  A gente trabalha mais com essa hipótese.
Viomundo – A sua equipe tem condições de avaliar se as imagens saíram ou não do circuito interno, não tem?
Rogério Tonatto – Tem, sim, e já detectaram algumas diferenças em relação às fotos publicadas. Por exemplo, são horas diferenciadas em relação às presenças das pessoas citadas.  Mas isso a Polícia Civil de Brasília e a Polícia Federal estão apurando. Agora, é precipitado eu falar mais coisas. Não quero atrapalhar a investigação. O que eu posso dizer é que vamos apurar todo esse delito até o final.
Viomundo — Tem ideia de quem teria filmado o andar do apartamento do ex-ministro José Dirceu?
Rogério Tonatto — Não temos a menor ideia.  Sabemos que um repórter esteve lá, que tentou invadir um dos apartamentos. Prontamente nosso staff não deixou. É um staff bem preparado, conseguiu detectar a tentativa de invasão. Demos queixa na polícia. Enfim, tomamos todas as medidas que medidas que tem de ser adotadas nessas circunstâncias.
Esse é um caso que tem de ser apurado pela polícia especializada, porque a gente não compartilha com esse tipo de conduta, independentemente de quem seja o cliente.
Viomundo – O senhor disse que a Polícia Federal está apurando o caso…

Rogério Tonatto —  A Polícia Federal foi acionada, está tomando providências, já está  no caso, assim como a Polícia Civil. Elas já estão no encalço de quem cometeu esse crime. Nós estamos trabalhando em todas as frentes para que ele  seja solucionado o mais rapidamente possível.
Viomundo — Que medidas o hotel vai tomar em relação à Veja?
Rogério Tonatto – Amanhã às 9 horas da manhã já temos uma reunião agendada com os nossos advogados. Neste momento, não tenho condições de dizer se a gente a vai processar a Veja.  Não sou competente na área, preciso de orientação jurídica sobre as medidas a serem tomadas.
Viomundo – Quem vai pagar os prejuízos do hotel, já que a imagem dele foi  manchada?
Rogério Tonatto — Nós estamos realmente indignados e preocupados com tudo isso. Mas uma coisa garanto: alguém vai pagar. Não sei lhe precisar quem neste momento, mas alguém vai pagar.  Vamos tomar todas as medidas para que esse episódio não fique impune. Nós estamos muito seguros da nossa importância. E o hotel não merece um espetáculo criminoso como este.
Leia também
Devanir Ribeiro: “Aonde vamos parar com esse jornalismo tão podre, tão mentiroso?”
Zé Dirceu: Repórter da Veja cometeu crime
Denúncia sofre de um problema cronológico
Evitar que os cidadãos pensem é uma tarefa permanente da mídia
Blogueiro Len explica como foram feitas as imagens da Veja


Nenhum comentário:

Postar um comentário