Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos

18 de junho de 2011

Liberdade de Expressão: Povo vai para as ruas do RJ na Marcha da Liberdade

Para quem ainda jovem, viveu a ditadura civil-militar imposta a partir do golpe de 1964, e foi obrigado a estudar com espiões do DOPS infiltrados nas salas de aula (Instituto Villa Lobos-Praia do Flamengo-RJ-década de 70), o que nos impedia até mesmo o simples ato de manifestar opiniões, é muito prazeroso assistir o lento, mas inexorável, aprofundamento da democracia brasileira e a crescente remoção do "lixo autoritário" que infelizmente ainda se encontra por toda parte. E para desespero dos "Bolsonaros" da vida, estão nas ruas os estudantes, os negros, os políticos, os homossexuais, as mulheres, as crianças, as minorias e maiorias, manifestando livremente e cada vez mais os seus anseios por liberdade, justiça e solidariedade. E que estas crianças possam viver em um Brasil que eu não vivi e que agora com muita emoção vejo nascer. Boa marcha, gente. Felicidades para todos nós. - BlogueDoSouza


Com informações do blog Saúde com Dilma
“O Rio é uma cidade de cidades misturadas. O Rio é uma cidade de cidades camufladas. Com governos misturados, camuflados, paralelos, sorrateiros. Ocultando comandos…”
18 de Junho de 2011 – 14h – Praia de Copacabana. Posto 6 > Leme
Para apoiar envie um email para: marchadaliberdade.rio@gmail.com
Rio 2011. Uma inédita articulação surge hoje no Brasil entre os movimentos sociais, culturais, coletivos, redes, midialivristas, pontos de cultura, cineclubes, universidades, mulheres, gays, lésbicas, heterossexuais, transgêneros, idosos e crianças, jovens, periferia, negros… Minorias e maiorias em defesa da liberdade de expressão e no combate a todos os preconceitos.

Todos juntos para fazer valer a Constituição Brasileira que diz: “É livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença.”
A Marcha da Liberdade é um movimento transversal conectado pelas lutas locais, nacionais e globais em nome da liberdade de expressão. E que vem celebrar a nova forma de fazer política no Brasil, supra-partidária e juntando todas as diferenças.
“A novidade cultural da garotada. Favelada, suburbana, classe média, marginal. É informática, metralha, sub-uzi equipadinha com cartucho musical de batucada digital..”
A Marcha da liberdade junta o precariado da cultura, camelôs, favelados, agentes da economia informal, garotos diplomados, professores, midiativistas, autônomos desempregados, todos que tem que inventar seu próprio trabalho, eco-ativistas, militantes pela legalização das drogas, democratização da mídia, os pretos, as periferias, todos os gêneros, os que andam por terreiros&quilombos ou por terras digitais.
“Quem é dono desse bêco? Quem é dono dessa rua? De quem é esse edifício? De quem é esse lugar?” O Rio de Janeiro não tem dono!
A Marcha da Liberdade nasceu como reação a repressão brutal a Marcha da Maconha de São Paulo (em 21 de maio), mas decolou e virou o embrião de um novo movimento político e cultural: a marcha pela liberdade de expressão, a marcha dos diferenciados, dos insatisfeitos, dos indignados, dos que estão construindo futuros alternativos.
Sem um objetivo único, mas com várias reivindicações e questões, a marcha vai colando no fluxo do desejo de mudança que varre o Acampamento Global juntando movimentos os mais diversos.
A Marcha da Liberdade quer: Liberdade pra protestar! Liberdade pra morar! Liberdade pra circular! Liberdade para expressar os afetos! Liberdade de culto! Liberdade para o funk, o hip hop, o samba e o rap e todos os ritmos! Liberdade para agir e para pensar.
Quando um futuro intolerante se precipita e parece inevitável é preciso reagir, deter, interceptar, barrar, desviar. A Marcha da Liberdade é a manifestação dos que não aceitam ser calados pela policia, pelos ruralistas, corporativistas, monopolistas…

“O bonde vai, muitos vão ficar pra trás. Ocupar vários espaços é o nosso plano de paz”
A Marcha da Liberdade é a 1a. Marcha Transversal, supra-partidária, pós-caretice e vai acontecer simultaneamente em quase 40 cidades do país. O século XXI está começando um novo ciclo de revoltas, pró-ativas, que não são apenas de embates, são os movimentos do FLUXO, os movimentos em onda, dai o alto poder de contaminação de um movimento para outro. Movimentos viróticos e de contaminação. Mundo árabe, Europa, Brasil…
É uma EPIDEMIA global que não vai parar tão cedo. São as revoluções em fluxo, sem começo e sem fim. A Marcha da Liberdade Rio apoia qualquer causa que defenda a liberdade de todos se expressarem e se reunirem em nome daquilo que acreditam ser justo.

Participe. Traga flores, instrumentos e o seu desejo.
Coletivo Marcha da Liberdade Rio.
Se seu coletivo, ong, instituição quiser constar entre os apoiadores envie um email para: marchadaliberdade.rio@gmail.com
No Rio organizam, mobilizam e marcham:
Articulação das Mulheres Brasileiras
Associação Brasileira de Gays Lésbicas e Transexuais
Associação Brasileira de Lésbicas
Associação de Cineclubes do Rio de Janeiro
Associação de Travestis e Transexuais do Rio de Janeiro
Associação Docente da UFRJ
Associação dos Profissionais e Amigos do Funk
Ativismo Contra AIDS/TB
Bloco Planta na Mente
Casa da Arte de Educar
Cena Tropifágica
Centro de Teatro do Oprimido
Cineclube Mate com Angu
Circuito Fora do Eixo
Coletivo Bravos
Comunidade BETEL
Cordão do Boi Tolo
DCE Mário Prata
Desliga dos Blocos
Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social
Fórum Cultural de Niterói
Fórum de Mídia Livre
Fórum dos Pontos de Cultura RJ/ES
Fórum Nacional pela Democratização das Comunicações
Fórum Permanente de Música e a Canja Carioca
Frente Ampla pela Liberdade de Expressão
Grupo Arco-Íris
Grupo da Diversidade de São João de Meriti
Grupo Diversidade de Niterói
Grupo Educação Popular
Grupo Pluralidade e Diversidade de Duque de Caxias
Hub Rio
Instituto Feminista para a Democracia
Instituto de Imagem e Cidadania/Sobrado Cultural Rural
Intervozes
Juventude Nacional do PV
Liga Brasileira das Lésbicas Nacional
Mandato Alessandro Molon
Mandato Jean Wyllys
Mandato Marcelo Freixo
Mandato Reimont
Marcha da Maconha – Niterói
Marcha da Maconha Rio
Marcha das Vadias
Me Beija que Sou Cineasta
Movimento Búzios Jovem
Movimento DELLAS
Movimento Direito para Quem?
Movimento Mega Não
Movimento Mobiliza Cultura
Movimento Nacional dos Pontos de Cultura
Movimento pela Legalização da Maconha
Movimento Zeitgeist Rio de Janeiro
Nova Organização Voluntária Estudantil
Núcleo Biolutas do PT
Os Fanchonos – o Coletivo
Partido da Cultura (PCult)
Pontão Campus Avançado
Pontão de Cultura Digital da ECO-UFRJ
Pontão de Integração Regional do PIM – Vassouras
Ponto de Cultura Palco Escola
Rádio Pulga
Rede Universidade Nômade
RedeTRANS
Setorial LGBT do PSOL
Sindicato das Prostitutas do Rio
União dos Movimentos de Ação

2 comentários:

  1. Meus cumprimentos pelo posicionamento desse blog em defesa dos valores do cidadão, dos direitos humanos, da verdadeira democracia, enfim, em que se respeitam as minorias subjugadas pela dominação capitalista e pela crescente onda da barbárie fascista. A intolerância de qualquer tipo não pode ser abrigada numa sociedade que se pretende justa.

    ResponderExcluir
  2. Professora Sonia, são pessoas como você que me dão força para seguir em frente com a militância e que me fazem acreditar em um futuro melhor.

    ResponderExcluir