Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos

23 de novembro de 2010

Se a fome entra pela porta, o amor sai pela janela

A eleição de Lula em 2002  após duas derrotas consecutivas , só aconteceu porque além de a direita não apresentar um só candidato a altura do líder sindical, ninguém suportava mais tanta incompetência, desemprego e miséria.

O PT, em meio a um sistema eleitoral falido e nas mãos do poder econômico, aceitou jogar o jogo sujo em que se transformaram as campanhas eleitorais e após campanha caríssima, alianças, acordos, concessões e dissidências, levou a esquerda finalmente a conquistar o poder central.

A mídia pós golpe de 1964, vinte e um anos de ditadura, agora hegemônica, partidarizada, concentrada nas mãos dos conservadores e com amplo domínio sobre a opinião pública, vivencia a volta da democracia e perde sua primeira batalha.

O tempo não para e graças a um governo merecedor de aprovação recorde, Lula é reeleito presidente e ao final dos oito anos em que consegue tirar da miséria 28.000.000 de brasileiros, elege ainda com muita dificuldade uma mulher como seu sucessor.

Pode-se dizer agora com tranquilidade que o povo brasileiro ama o seu presidente. E que foi este amor que levou a mídia, agora agindo com o ódio de um amante traído, a ser derrotada pela segunda vez.

Há muito o que comemorar, não há dúvida, e as perspectivas para o país são as melhores possíveis, mas todo o cuidado é pouco nesta hora.


Que as esquerdas não se iludam, porque apesar deste romance todo que vive o nosso líder, no caso de uma simples crise externa, mas de proporções tais, que venha a nos afetar significativamente, o que não ocorreu nesta última, e mantendo-se intocável o monopólio e controle da informação por parte desta meia dúzia de famílias, e é esta a realidade no nosso país, a direita volta ao poder. E sabe-se lá agora, por quanto tempo mais.

Jamais devemos ignorar, que mesmo os conservadores não tendo apresentado propostas alternativas para tocar o país, exibindo em suas fileiras, defensores da tortura, fundamentalistas, fascistas e escândalos centenários, assim mesmo  conseguiram expressiva votação. Por que?
Amparados como sempre pela sua principal e estratégica ferramenta, que é a manipulação da informação, "serviço" esse, que faz com que cerca de 46.000.000 de pessoas duvidem do caráter de nossa atual presidente, e permaneçam sem nenhuma consciência política, a direita foi para o segundo turno pregando um susto em muita gente.

E o fato é que, caso ocorra no país uma situação de grave crise interna, as brigas virão, o romance fará água e facilmente a direita vencerá a pequena diferença nos votos, retomando assim o poder. E pelo simples motivo de que se não for conquistada a democracia nos meios de comunicação e a conscientização política de nosso povo, se a fome entrar pela porta, o amor sairá pela janela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário